Sempre fui Grotesco!

por Diogo Pizza  (Team Manager)

 

A Grotesco nasceu em 2006 através de um grande amigo, que é designer e criador da marca.  Conheço Wolmer, ou ‘Wolminho’ para os mais chegados desde 1999, através de um outro grande amigo em comum em um dos nossos muitos rolés de skates em picos que hoje já estão estintos, como: inferninho de Marechal Hermes, MHS skatepark, Grel de Realengo, Cebolão na Barra, 021 em Sampaio… nesse período também eram contantes os rolés na XV, Praça 1º de Maio e na miniramp da Urquinha.

Nessa época foi a que eu tive o contato com esse skate que usamos hoje em diaa, mas o skate sempre esteve em minha vida, eu me lembro de pirar vendo aquele Bart Simpson no começo de 90 com seu skate e seu jeito de ser.  Minha fixação por adesivos de skate vem dae, junto com os clássicos da gang do lixo, quem não lembra? Adorava os comerciais da Nescau, Jogos de verão no Mega Drive  e tudo que tivesse skate envolvido. Em 91 eu ganhei meu primeiro skate tubarão, e me lembro que nesta época esse tipo de skate realmente andava, não era de brinquedo como esses de Casa&Video e outras que quase que não andam.

Em 92 eu fui morar em Praia Brava, em Angra dos Reis  e tive meu primeiro contato com uma galera já mais velha que andava com estes shapes de hoje  em dia, só que eram raros ter desenho embaixo e os parafusos eram aqueles grampos que hoje já não se usam mais. Me lembro de me inspirar nesses caras e sair com a galera da minha idade remando pelas ruas (acho que daí que eu peguei um vicio errado de remar ‘mongo foot’) e eu também me lembro que o simples fato de tirar um ollie num skate daqueles, pular um meio fio era demais para nossa idade e para a época. E no condomínio onde morei, tive contato com a primeira miniramp que fora construida em 91 pelo clube local, tiplo de contrução que até então não era tão bem vista quanto hoje em dia, e esta está lá até hoje pelo que sei.

Por morar de frente a praia, mesmo em uma vila de operários, tive muito mais apreço e desenvoltura no surf, competindo e tudo mais. Porém ao me mudar de volta para o Rio de Janeiro em 96, voltando a morar no subúrbio carioca, tive de me acostumar a viver sem este estilo ‘californiano’ de um condomínio litorâneo com possibilidades de skate e surf. O surf foi ficando cada vez mais raro em meu dia a dia adolescente e minha cabeça começou a me voltar a focar no verdadeiro estilo de vida que me conquistara desde moleque. Foi então que os anos de 97 e 98 me mostraram uma visão de um skate muito agressivo, lembro do comercial em rede aberta da Olympikus apresentando manobras através de skatistas e lançando sua linha de tênis para a prática, da Vision na MTV, do Planet Hemp com um vocalista skatista carioca, tudo aquilo me impressionou bastante.

Em 98 eu comprei minha primeira revista de skate, foi uma Tribo com a foto de um 50-50 em uma mesa de praça,  era o número 34 e eu a tenho junto com outras tantas aqui em casa que compro a todo mês para saber do que sse passa pelo país, além de blogs, sites nacionais e internacionais que acesso diariamente na fome por informações sobre este universo apaixonante que é o skateboard. Nesse mesmo período um amigo mais velho aqui do prédio onde moro desde que voltei de Angra, o Rafael Boné, começou a andar e aquilo me instigou bastante a ter um skate e ser um skatista de fato, que andasse de skate além de pensar e admirar o esporte, o estilo de vida proporcionado.

Então neste ano de 98 eu ganhei meu primeiro skate ‘moderno’, era um skate completo na New Skate Rock e ele durou 1 ano comigo, e foi através desta tábua sobre rodas que pude conhecer em 99 grandes amigos que cultivo até hoje que começaram a andar de skate nesta mesma época, como: Renne, Rafael, Eric, Wolminho e outros mais, foi quando entrei na Escola Técnica Visconde de Mauá, em Marechal Hermes, que por conta do nosso precioso passe livre em ônibus do rio na época, eram constantes os nossos rolés e são eternas as memórias.

 

Andamos em um skatepark dos sonhos em uma fábrica abandonada, em uma miniramp facilima de andar e perder o medo dos tombos no Anil, rolé no Grel em Realengo, rolé com a galera do Wu Clan Valqueire do Wilson, Batebola, De Mello, Ulisses, Marú, Júnior, Feijão, Babão… de ir na Galeria River sempre que alguém fosse comprar algo pro skate, muitas vezes ninguém comprava pela falta de grana e ficávamos só ‘namorando’ os produtos dos sonhos… putz, só coisa épica.

 

Rolé de equipe gringa aqui eram raros e qualquer campeonato era muito celebrado,  lembro que o Marcelinho era o cara que já quebrava tudo nos campeonatos da MHS que eu lia no Na Base skate zine e o próprio depois veio a estudar lá na Mauá e hoje sendo profissional continua o mesmo cara de sempre.

Os anos foram passando e o tempo dedicado a andar de skate devido às responsabilidades foi diminuindo, porém meu amigo, nunca e nem jamais sairá das minhas veias! Hoje em dia eu tenho muito orgulho de trabalhar ao lado de pessoas que tem o mesmo relacionamento e comprometimento com o skate como o que eu tenho.  Não sou jornalista, mas trabalho junto ao meu amigo que conheço desde antes de começarmos a andar de skate, Rennê Nunes, como redator do site Pense Skate e sempre que pude colaborei com as produções de campeonatos no maior estilo,  ‘na cara e na coragem’ do meu amigo e grande batalhador do skate carioca Eric Fernandez com a Emathomask8 e agora, junto com meu amigo Wolmer Filho, o Wolminho tenho a missão de apresentar e integrar através da Grotesco, este sentimento mais puro que existe no skateboard que é a liberdade de se andar de skate e se divertir em 1º lugar.

Sabemos da importância das competições, mas o skate para nós é muito mais que isso. Skate é atitute, é expressão, é contra-cultura, é ir na contra mão do que uma pessoa normal possa gostar. Somos diferentes sem sermos piores. Ser Grotesco é ser original mesmo que tentem te impedir, que não gostem, é fazer o que te der na telha. Prezamos pelo resgate da essencia do skate, que é a diversão acima de tudo e é assim que eu espero que seja enquanto a Grotesco existir e pelos lugares onde formos passar.

Se você também é Grotesco, seja bem vindo!

Anúncios

2 Comentários (+adicionar seu?)

  1. eric fernandez
    ago 19, 2009 @ 16:21:38

    estou feliz pelas citações ! vida longa ao skate !!!

    4 fun – 4 all – 4 ever

    Responder

  2. lucianop
    fev 10, 2011 @ 10:06:19

    and 4 the heart. peace. yerbah.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: